exposição vizinhos

———————————————————————————————————————————————————————

 

———————————————————————————————————————————————————————

Imersa no universo das trocas de correspondências e cotidianos, e também fascinada, de alguma forma, com o universo da intimidade experimentado nos processos de criação comSofi Hémon, para a exposição “hier m’abandonne, pourquoi le retenir?” Li Po, o trabalho de Viena, que foi exposto meses depois da exposição de Mulhouse, surgiu, primeiramente,  como uma continuidade desses pontos de contanto.

Também, na época,  estava muito influenciada por Enrique Vila-Matas – que acabei conhecendo no Salão do Livro em Paris – e seu livro História Abreviada da Literatura Portátil, que dialoga com o universo de Marcel Duchamp  das maletas, das miniaturas e das caixas….

A caixa verde de Marcel Duchamp, quando esteve exposta no Centre George Pompidou:

Então, uma primeira idéia apresentada era realmente uma continuação desse processo:

Caixa SILÊNCIO, 2ª versão

A partir da primeira caixa SILÊNCIO (22 objetos), caixa-processo da exposição “hier m’abandonne, pourquoi le retenir?” Li Po, realizada em Mulhouse-FR,  proponho uma segunda versão da caixa, seguindo a mesma lógica de construção da primeira, talvez até como um desdobramento. Podendo, no entanto, esta lógica ser modificada no seu processo de feitura:


1)Trabalhos: amostra de trabalhos anteriores realizados pela artista;


2)Para realizar obras: objetos que detêm em si obras em potencial, que podem ser desenvolvidas em vários suportes;


3)Para tocar o outro: objetos que servem para estabelecer uma relação de alteridade, podendo essa conter vários níveis;


4)Para tomar notas: objetos de observação permanente;


5)Para estabelecer uma conversação: objetos que servem ao homem para estabelecer uma das mais antigas artes, a arte da conversação;


6)Para arquivar: objetos de catalogação rápida.


Obs.: algumas propostas contidas na caixa, como obras em potencial,  podem vir a ser desenvolvidas e se transformarem em trabalhos para a exposição, podendo serem apresentadas em suportes diversos: como fotografias, por exemplo.

No entanto, como todo processo de criação é como um processo de limpeza, numa tentativa de se chegar a uma idéia essencial, o trabalho tomou corpo, reduzindo-se à idéia do segredo, do que não se mostra, do que se guarda no fórum íntimo de cada um de nós.

Desenhei uma caixa de acrílico transparente, que foi fabricada pensando nessa idéia do baú das memórias, como aquelas caixas em que guardamos fragmentos, papéis, cartas, vestígios do passado e que seria fechada com um cadeado de segredo numérico. A caixa foi transportada por um amigo até Viena e, no processo de montagem, foi quebrada. Outra caixa foi fabricada, mas seu formato lembra mais o de uma urna eleitoral, não o de um baú.

De todo modo, o trabalho foi montado e, no espaço expositivo, criava um silêncio, um espaço para olhar-se, em segredo.

 

Para guardar segredos: Um Geheimnisse zu behalten: 

(trad.: Helano Ribeiro)

1. Se, e somente se, você sentir vontade, escreva um segredo;

1. Wenn, und nur wenn, du Lust hast, schreib ein Geheimnis;

2. Por alguns segundos, observe a beleza de um segredo sobre um papel vermelho;

2. Für ein paar Sekunden, beobachte die Schönheit eines Geheimnisses in einem roten Papier;

3. Em seguida, coloque-o com algum cuidado na caixa transparente.

3. Anschließend tu es vorsichtig in eine transparente Box.

A exposição VIZINHOS culminou com o término da residência artística do grupo Transição Listrada (Vítor César, Renan Costa Lima e Rodrigo Costa Lima) e do artista Eduardo Verderame, que organizaram a mostra no Freiraum do Museum Squartier, em Viena-Áustria.Para ver o  em pdf: catalogo_capa_viz_scr e  catalogo_viz_scr. Todo o material gráfico foi criado pelo grupo Transição Listrada.

Abaixo, as instruções do CADEADO DE SEGREDO NUMÉRICO – 25mm

Inserindo sua combinação:

Seu cadeado de segredo numérico vem ajustado de fábrica para abrir com a combinação 0-0-0.
Para inserir sua combinação pessoal siga os passos a seguir:

1. Deixe os dígitos na combinação de abertura 0-0-0 e puxe a haste para abrir;

2. Gire a haste em 90º e pressione para baixo até o limite. Mas antes de pressionar para baixo verifique se a haste está alinhada com o corte no corpo do cadeado.

3. Com a haste pressionada coloque sua própria combinação nos dígitos;

4. Solte a haste e volte na posição normal. Agora o cadeado só será aberto com a sua nova combinação.

Anúncios