revista aStro-LáBio º 1

———————————————————————————————————————————————————————

2010 / poemas – e-mails / imagens / ensaio / revista virtual / fortaleza – são paulo – rio de janeiro – bsas – etc….

———————————————————————————————————————————————————————

[aStro-LáBio]°1

revista de arte e literaturas

www.astro-labio.net

O primeiro dispositivo é o nome astrolábio, que, ao ser partido, faz surgir a fissura astro-lábio. De objeto antigo, naval, reinventamos (e é preciso reinventar os termos cotidianamente, para continuar o mundo) uma outra navegação, agora virtual: o hífen separa os termos, mas cria uma ponte possível entre arte e ciência, entre uma proximidade amante (quente) e uma distante (fria) constelação computadorizada.

O segundo dispositivo é a proposta que aciona no mundo do plasma e dos bites uma criação: a construção e o desenvolvimento do site [aStro-LáBio], primeiro número da revista virtual de arte e literaturas, no plural.

Aberta a trabalhos dos mais variados gêneros e espécies (poesia, conto, ensaio, fotografia, vídeo, entrevista, correspondências, música, arte-de-web, etc), concentrando artistas de diversas procedências (Rio de Janeiro, São Paulo, Fortaleza, Buenos Aires, Córdoba, Barcelona, Paris, Portugal, Lima…), [aStro-LáBio] nasce como uma plataforma reticular (cresce para os lados, mas também para cima e para baixo, cresce para todos os lados e cresce ao mesmo tempo em que se reinventa).

Para além de objeto de apreciação estética e estática, [aStro-LáBio] pretende criar um espaço de convivência que, como as múltiplas pernas de um polvo, agrega muitas possibilidades de encontros e se expande em tantos quantos forem possíveis outros dispositivos de atuação: exposições, performances, projeções de filmes; onde a aglutinação primeira, a proposta de criação do site, se torna uma interface virtual múltipla, uma plataforma de n encontros inimagináveis e intercambiáveis.

A cada edição, um eixo temático proposto e discutido pelos artistas conduz o desenvolvimento e a organização dos trabalhos na revista. Desse modo, a revista pretende conjugar duas ideias em sua formatação: tornar-se um espaço de divulgação e encontro entre diversos artistas, publicando trabalhos em formatos mais convencionais (vídeo, texto, fotografia, etc), e agregar a criação de trabalhos que tenham como suporte e ferramenta de execução a própria internet (trabalhos mais interativos e imersivos, mesclando formatos).

Para este primeiro número, escolhemos como eixo temático o EXÍLIO. Porque pareceu evidente como primeiro tema para uma revista feita por pessoas que vivem em diversas cidades e países, pessoas que experimentam em seus cotidianos a distância e a proximidade gerada pelas viagens e pelo ciberespaço, além de interagirem constantemente pela internet, através de programas de correspondência, como e-mails e skype. De forma que, depois de várias discussões, cada artista propôs apropriações diferentes do vocábulo, fazendo com que o tema se desdobrasse em vários outros que se comunicam entre si mas também se diferenciam: errância, deslocamento, flâneur, saudade, deriva, epístola, correspondências, mapas, viagens, atlas, road movies, e assim por diante. Palavras que, agrupadas, disparam em várias direções, tratando-se de uma espécie de energia que é ao mesmo tempo centrípeta (uma revista concentrada no tema como centro das criações, gerando assim um sentido sólido) e centrífuga (trabalhos que surgem do eixo temático, mas que possuem um sentido fluido, seguindo caminhos díspares).

A revista [aStro-LáBio] foi concebida e organizada por quatro e-ditores: Érica Zíngano, Francine Jallageas, Ícaro Lira e Lucas Parente, e realizada por diversos colaboradores, 19 convidados nesse primeiro número. Contou também com Júlio Parente na execução e elaboração do site.

labioastral@gmail.com

revista de arte e literaturas


blog-processo °1 (2010)

blog-processo °2 (2011)
Anúncios